Notícias 21 nov, 21

Seminário foi realizado em parceria entre ACIJS, Sebrae/SC e Subseção da OAB em Jaraguá do Sul

LGPD é fundamental para o desenvolvimento de negócios em ambiente de segurança, avaliam especialistas

“Estamos vivendo uma era em que as informações e dados talvez represente um dos ativos mais importantes para qualquer organização”, afirma Pedro Pirajá, advogado com especialização em direito digital, presidente da comissão de inovação da OAB/SC e assessor jurídico do Sebrae/SC.

Ao participar de seminário organizado pela ACIJS, em parceria com as duas instituições, para discutir os aspectos práticos da LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados principalmente para as micro e pequenas empresas, Pirajá salientou a importância de empreendedores adequarem seus negócios diante da legislação que entrou em vigor há um ano e, desde agosto último, passou a impor a possibilidade de penalidades a infratores quanto ao uso e circulação de informações notadamente por meios digitais. “A LGPD traz impactos nas empresas, na administração pública e a toda a sociedade, mas para as empresas a adequação dos seus negócios de acordo com a lei representa um diferencial competitivo”, pondera.

“É uma mudança de cultura que precisa envolver toda a empresa e quanto maior for o engajamento dos colaboradores para a adequação ao que a LGPD define em relação à segurança das informações haverá menos riscos de uma penalização”, diz o advogado Pedro Pirajá

O presidente da ACIJS e do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, Luis Hufenüssler Leigue, destaca a preocupação das duas entidades que representam o setor produtivo do município com o tema. O seminário, realizado nos dias 16 e 17, explica Leigue, teve como propósito levar a associados, empreendedores e comunidade em geral fundamentos para que a Lei nº 13.709, mais do que um instrumento de normatização seja entendida como um recurso de segurança importante para a sustentabilidade dos empreendimentos num momento de recuperação pós-pandemia.

“É um tema muito atual, quando se busca mais eficiência nos negócios, com o uso de tecnologias que possibilitam relações cada vez mais exponenciais. Não estar atento a todos os aspectos que envolvem essa questão pode ser um risco para as empresas”, reforça, lembrando que a legislação estabelece regras sobre a coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e privacidade.

O seminário contou com as participações de três especialistas e a mediação dos advogados Artur Vicente Montibeller da Silva e Karen Bincoletto, do Comitê Jurídico Estratégico da ACIJS.

Mudança na cultura organizacional

Primeiro palestrante, o assessor jurídico do Sebrae/SC abordou os aspectos gerais da LGPD, ressaltando que a legislação traz a perspectiva de uma mudança na cultura organizacional. Pedro Pirajá entende que nesse contexto as empresas passam cada vez mais a ter a preocupação de se adequarem a lei por exigência dos próprios clientes. Embora recente, desde que entrou em vigor em 2020 e, a partir de agosto deste ano orientando o meio empresarial quanto à fiscalização e aplicação de sanções, as atividades que se relacionam com a nova legislação passaram a ser reguladas pela ANPD – Agência Nacional de Proteção de Dados.

“É uma mudança de cultura que precisa envolver toda a empresa e quanto maior for o engajamento dos colaboradores para a adequação ao que a LGPD define em relação à segurança das informações haverá menos riscos de uma penalização”, pontua. Essas sanções, explica, vão de uma advertência com prazo para medidas corretivas, a multas de 2% do faturamento sobre cada dado utilizado de forma indevida, podendo chegar a um valor de R$ 50 milhões, além de dar publicidade ao fato gerador da penalidade e assim expor a empresa no mercado, implicando ainda na possibilidade de bloqueio dos dados da empresa e até mesmo o esvaziamento da sua base dados.

O advogado Guilherme Vieira, presidente da Comissão de Direito Digital da 23ª Subseção da OAB/SC, também reiterou a necessidade de empresas discutirem questões que envolvem a LGPD, “num momento em que o desenvolvimento dos negócios se baseia nos relacionamentos e na tecnologia” e o impacto social que isso representa. “É um tema que ganha contornos especiais principalmente quando se fala em manutenção dos negócios, afinal todas as empresas são impactadas pela proteção de dados e isso não deve ser entendido como uma trava e sim como um meio para o desenvolvimento dos negócios”.

Vieira destacou na palestra 4 pontos que considera prioritários para que as empresas se adequem à LGPD: a implantação de uma política de segurança da informação, a conscientização e treinamento constante da equipe, o gerenciamento permanente de contratos, e a adoção de medidas técnicas. Uma referência importante, citada pelo especialista como orientação a empreendedores, é o guia publicado pela ANPD e destinado às empresas de pequeno porte.

Nelson Souza (e), consultor do SebraeTec, e o advogado Guilherme Vieira, abordaram aspectos práticos da legislação

Esses cuidados fazem sentido na medida em que há uma aplicação crescente de sanções que já movimentam o judiciário brasileiro. Somente no período de agosto de 2020 a agosto deste ano são 584 decisões que definem o entendimento jurídico de que a LGPD constitui fundamentação a decisões sobre vazamento de dados, especialmente nos meios digitais.

Legislação pode trazer vantagem competitiva

Outro aspecto é quanto à mudança cultural decorrente dos problemas com o uso indevido de dados. Uma pesquisa recente, informa Guilherme, revelou que 56% dos entrevistados deixaram de comprar produtos ou contratar serviços por receio quanto à forma como os seus dados serão utilizados ou que destinação poderão ter.

“A adoção de práticas quanto ao uso de dados das pessoas representa uma vantagem competitiva, por isso a adequação à LGPD é urgente e necessária”, completa Guilherme Vieira.

Consultor do SebraeTec, o bacharel em Sistemas de Informação Nelson de Souza lembrou que o compartilhamento de informações sobre os efeitos da LGPD para as micro e pequenas empresas se torna ainda mais relevante pela importância do segmento para a economia nacional. Segundo ele, a legislação traz um norteamento dos processos de gestão a empreendedores, mas apresentando níveis diferentes de complexidades de acordo com o porte do negócio.

O comentário baliza o entendimento do consultor de que o empresário pode fazer as adequações sem maiores traumas. “Minha dica a micro e pequenos empreendedores é que se estruturem com um organograma de todos os seus processos e departamentos, que tenha um plano estratégico porque esses são pilares para determinar para onde a empresa quer ir.  A segurança da informação é uma das principais sustentações de qualquer negócio”, enfatizou Nelson de Souza.

>>> Confira como foi o primeiro dia da programação >

>>> Confira como foi o segundo dia da programação >



Confira as

Últimas notícias

Pacto para estimular desenvolvimento e inovação une municípios da região

Objetivo é estimular maior integração regional, em sinergia com o estado, para a promoção do desenvolvimento com inovação e sustentabilidade econômica e social

Municípios e entidades regionais oficializam nesta sexta (3) Pacto da Inovação

Ato vai ocorrer no Novale Hub com a presença de lideranças da região

ACIJS convida Prefeitura e Câmara de Vereadores para balanço do ano e projeções para 2022

Evento aberto à comunidade, que poderá acompanhar presencialmente, no CEJAS, ou ao vivo pelo canal da ACIJS no YouTube

Falta de insumos afeta sete em cada 10 indústrias no Brasil, mostra estudo da CNI

Setor produtivo avalia que o desabastecimento de matérias primas só terá fim a partir de abril de 2022

Jaraguá do Sul e região buscam ampliar relações de negócios com a Itália

Encontro realizado no Novale Hub teve como objetivo aproximar comércio, indústria e organizações com interesse em negócios entre Brasil e Itália

Workshop apresenta oportunidades para empresas buscarem o mercado externo

Ampliar a presença de empresas locais no mercado externo é uma das diretrizes da ACIJS

Hospital São José presta contas à comunidade e homenageia parceiros

ACIJS foi uma das entidades homenageadas pela cooperação com o Hospital São José ao longo dos anos

Jaraguá do Sul entre as 10 cidades mais competitivas do Brasil, aponta estudo do CLP

O Ranking Nacional destaca que Jaraguá avançou 18 posições em relação ao levantamento anterior

Entidades debatem, em Corupá, turismo regional com foco na sustentabilidade

Programação contará com reunião das Associações Empresariais e Secretarias de Turismo dos municípios participantes

Núcleo de Panificação e Confeitaria da ACIJS celebra 85 anos do Hospital São José

Presente dos nucleados simbolizou o agradecimento da comunidade à história de bons serviços do Hospital São José

You must login to view your message.
Redefinir senha Cadastrar