Notícias 12 set, 19

A palavra parceria foi unanimidade no I Encontro Estadual de Segurança “SC mais Segura”, realizado nesta terça-feira (11), em Florianópolis. […]

Parceria é prioridade entre as iniciativas pública e privada para melhorar a segurança pública

Evento reuniu lideranças para discutir melhorias na segurança pública

A palavra parceria foi unanimidade no I Encontro Estadual de Segurança “SC mais Segura”, realizado nesta terça-feira (11), em Florianópolis. Iniciativa da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC) e da Polícia Militar de Santa Catarina, o evento reuniu cerca de 300 pessoas para discutir os rumos da segurança pública no estado e no Brasil. No evento, as entidades assinaram a primeira carta por uma SC Mais Segura. O documento contém uma série de compromissos das instituições para trabalharem juntas.

Durante o evento, o case de Jaraguá do Sul como uma das cidades mais seguras do Brasil foi apresentado pelo coronel Amarildo Alves, comandante da 12a Região de Polícia Militar, e pelo tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, comandante do 14o Batalhão. Entre os fatores que fazem de Jaraguá do Sul uma cidade segura estão a cultura, pertencimento, educação, economia e o associativismo. “A estratégia é uma das aliadas da Polícia Militar, como as grandes operações, as parcerias com instituições, ações nos municípios vizinhos, parceria com a comunidade, “, explicou Reisdorfer.

O presidente da ACIJS e do Centro Empresarial Anselmo Luiz Jorge Ramos ratificou a importância da soma de esforços entre o setor produtivo e as forças de segurança. “Há mais de 20 anos a comunidade de Jaraguá do Sul participa ativamente em favor das instituições de segurança pública, o que tem sido imprescindível para que a cidade alcançasse o resultado mais importante, que é a sensação de segurança fundamental para que tenhamos um lugar melhor para as nossas famílias e um ambiente de negócios favorável para as nossas empresas”. O empresário disse que Jaraguá está ‘de braços abertos para investimentos e com seus muros fechados’, sintetizando a busca de tranquilidade para receber investimentos”.

O presidente da Facisc, Jonny Zulauf, ressaltou como primordial unir esforços para melhorar a segurança. “Discutir o tema, buscar soluções em conjunto e principalmente trabalharmos todos em prol do mesmo objetivo, fará que consigamos combater a criminalidade, aprimorar a segurança digital, de informação, atualizar a legislação processual, para garantir um ambiente mais harmonioso e confiável para nossos negócios e oportunizar o crescimento da competitividade catarinense”.

O governador Carlos Moisés participou da abertura do evento. Ele ressaltou que a Facisc sempre foi uma grande fonte de referência para pautar o Governo. “Os dados que compõem a Cartilha Voz Única foram e são de extrema importância para conhecer as verdadeiras necessidades do Estado, e mais uma vez a entidade colabora promovendo este debate sobre a segurança, que é um tema tão importante”.

O comandante da Polícia Militar de SC e secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Araújo Gomes, falou sobre a importância de andar lado-a-lado com as entidades do setor privado. “Estima que o Brasil perde 6% do PIB por ano com custos de homicídios, sistema prisional, segurança pública, sistema de segurança privada, saúde e seguros. Sabemos que com ações conjuntas podemos planejar, agir e promover mudanças significativas”. Outro ponto destacado pelo Comandante foi a forma como a segurança pública passou a ser gerida. “Estamos trabalhando com Governança na Segurança Pública. Formamos um colegiado com os gestores máximos de cada órgão”, explicou. Entre os objetivos da PMSC estão controlar a criminalidade, reduzir o medo da vitimização e aumentar a confiança na polícia.

O evento reuniu empresários, gestores públicos e lideranças sociais para debater o tema com nomes de referência nacional e internacional. Entre as palestrantes, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, falou sobre segurança pública como instrumento de desenvolvimento econômico social e da competitividade. Para o ministro, o maior prejuízo da falta de segurança é o impacto no turismo. “A violência está diretamente relacionada ao não interesse pelo turismo. o Brasil é o país que menos aproveita o potencial turístico. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio, mostrou que no Rio de Janeiro, a violência provocou queda de R$ 657 milhos nas receitas do turismo fluminense, o montante equivale a 29% do total da perda”.

Custo da violência x custo da oportunidade

O custo da violência X custo da oportunidade foi o tema da palestra do Coronel da Polícia Militar de São Paulo e ex-secretário Nacional de Segurança Pública, José Vicente da Silva Filho. Segundo ele, o custo da violência em 10 anos será R$ 3 trilhões e 600 bilhões de reais. “Além dos valores o custo da violência gera perda de produtividade, com dias perdidos de trabalho, problemas físicos e psicológico das vítimas e dias perdidos para tratamento das vítimas”. Além disso, Vicente destacou as consequências da violência na formação de capital humano e no planejamento empresarial. “A segurança faz parte dos itens a serem pensados. Quando não se tem segurança pública, os gastos em segurança privada aumentam e temos perdas no turismo pela violência”. [Com informações da FACISC]



Confira as

Últimas notícias

Nota de pesar - Yara Fischer Springmann

A ACIJS, representada por sua Diretoria. Conselho Superior e Empresas Associadas, expressa o sentimento de pesar da classe empresarial de Jaraguá do Sul diante do

Ação Social do Núcleo de Voluntariado leva alegria a crianças no Natal

Iniciativa beneficiou crianças assistidas pelo programa Novos Caminhos e também menores da comunidade haitiana do Bairro Vieiras

NOTA OFICIAL – A favor da moralidade, contra o aumento de gastos públicos

Entidade se alinha a manifestações de setores representativos do meio empresarial e da sociedade civil diante de medidas que comprometem a gestão de recursos públicos

ACIJS vê legitimidade em manifestações por mais recursos a rodovias

Entidades representativas do setor produtivo têm atuado no sentido de assegurar continuidade de obras de infraestrutura

NOTA OFICIAL - Fundo Eleitoral 2022

Com a decisão de senadores e deputados federais, Fundo Eleitoral pode utilizar até R$ 5,7 bilhões de recursos públicos, em 2022

Jaraguá do Sul é a primeira cidade de SC a integrar rede nacional de 5G

Projeto vai permitir a aplicação de tecnologia inédita, com a instalação de redes de 5G por meio da integração de antenas às luminárias inteligentes

“Desafio é recuperar posição de destaque de Jaraguá na economia do estado”, diz prefeito Antídio, na ACIJS

Encontro Empresarial marcou encerramento da agenda de plenárias da entidade em 2021

ACIJS inicia campanha de incentivo à segunda dose de vacina contra a Covid-19

Ação busca envolver a comunidade no esforço para que o ciclo de imunização contra a Covid-19 seja completo

Alta de juros era aguardada, mas decisão pode afetar recuperação econômica, avaliam entidades

Sétimo aumento seguido dos juros pode inibir capacidade de reação de empresas no pós-pandemia, temem especialistas

Câmara Federal aprova projeto que municipaliza regras de proteção de rios em áreas urbanas

Projeto de Lei que regulamenta ocupação de áreas próximas a rios nos municípios agora aguarda sanção presidencial

You must login to view your message.
Redefinir senha Cadastrar