Notícias 20 set, 19

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira (18) a redução da taxa básica de juros […]

ACIJS avalia que redução da taxa de juros reflete momento positivo na economia, mas com cautela

Anselmo Ramos destaca importância da decisão do Banco Central e do Copom em manter taxa Selic baixa como forma de motivar mercado, mas ressalta que a aprovação de reformas estruturais é condição essencial para que o Brasil volte a crescer e a ter uma economia forte

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou nesta quarta-feira (18) a redução da taxa básica de juros – a Selic – em 0,5 ponto percentual. Com isso, a taxa cai de 6% para 5,5% ao ano que, segundo o Copom é compatível com a convergência da inflação para a meta. Este ano a meta de inflação é de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%).

O presidente da ACIJS e do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, Anselmo Luiz Jorge Ramos, avalia que a decisão reflete um quadro ajustado com o panorama do País em relação à inflação. O empresário assinala que a medida considera que a economia ainda mantém um crescimento abaixo do potencial que o Brasil oferece, porém, reforça que a política monetária se mantém de forma a estimular os agentes econômicos. “Embora exista uma ociosidade em relação à plena capacidade de retomada da economia, a expectativa de uma inflação de 3,5% a 4% para os próximos anos de certa forma demonstra um certo controle e isto é positivo para que o otimismo se mantenha”, comenta.

Por outro lado, Anselmo Ramos entende que o avanço nas reformas como a da Previdência e a tributária, ao lado de outras medidas, deve trazer ainda mais confiança ao mercado, mas é preciso que a sociedade acompanhe o encaminhamento destas negociações no Congresso para que elas se efetivem e com isto o País retome sua plena capacidade. Outro aspecto que deve ser sempre ponderado, assinala, são as influências na economia mundial, que sempre podem trazer reflexos em questões como o câmbio, por exemplo. “É preciso continuar acompanhando este quadro que, se de um lado mostra uma recuperação lenta e gradual, de outro demonstra que ela é consistente”.

A última pesquisa do Banco Central havia mostrado que era expectativa do mercado que o Copom mantivesse o ciclo de redução na Selic e fizesse o corte anunciado nesta semana. O comitê disse que, pelo cenário atual, a trajetória de juros deve encerrar 2019 em 5% ao ano e permanecer nesse patamar até o final de 2020.

Em comunicado, o Copom também reiterou a necessidade de avanços nas reformas estruturais da economia brasileira para que os juros permaneçam em níveis baixos por longo tempo. “O Copom avalia que o processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira tem avançado, mas enfatiza que perseverar nesse processo é essencial para a queda da taxa de juros estrutural e para a recuperação sustentável da economia”, diz o comunicado.

De acordo com boletim divulgado pelo Copom, o cenário econômico sugere uma retomada do processo de recuperação da economia brasileira, que deverá ocorrer em ritmo gradual e uma inflação na casa dos 3%. “As expectativas de inflação para 2019, 2020, 2021 e 2022 apuradas pela pesquisa Focus encontram-se em torno de 3,5%, 3,8%, 3,75% e 3,5%, respectivamente”, informou o Copom. O Copom disse também que espera que o dólar termine o ano de 2019 valendo R$ 3,90 e que permaneça nesse patamar até o final de 2020.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, o Copom precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

[Com informações da Agência Brasil / EBC – Empresa Brasileira de Comunicação]



Confira as

Últimas notícias

Nota de pesar - Yara Fischer Springmann

A ACIJS, representada por sua Diretoria. Conselho Superior e Empresas Associadas, expressa o sentimento de pesar da classe empresarial de Jaraguá do Sul diante do

Ação Social do Núcleo de Voluntariado leva alegria a crianças no Natal

Iniciativa beneficiou crianças assistidas pelo programa Novos Caminhos e também menores da comunidade haitiana do Bairro Vieiras

NOTA OFICIAL – A favor da moralidade, contra o aumento de gastos públicos

Entidade se alinha a manifestações de setores representativos do meio empresarial e da sociedade civil diante de medidas que comprometem a gestão de recursos públicos

ACIJS vê legitimidade em manifestações por mais recursos a rodovias

Entidades representativas do setor produtivo têm atuado no sentido de assegurar continuidade de obras de infraestrutura

NOTA OFICIAL - Fundo Eleitoral 2022

Com a decisão de senadores e deputados federais, Fundo Eleitoral pode utilizar até R$ 5,7 bilhões de recursos públicos, em 2022

Jaraguá do Sul é a primeira cidade de SC a integrar rede nacional de 5G

Projeto vai permitir a aplicação de tecnologia inédita, com a instalação de redes de 5G por meio da integração de antenas às luminárias inteligentes

“Desafio é recuperar posição de destaque de Jaraguá na economia do estado”, diz prefeito Antídio, na ACIJS

Encontro Empresarial marcou encerramento da agenda de plenárias da entidade em 2021

ACIJS inicia campanha de incentivo à segunda dose de vacina contra a Covid-19

Ação busca envolver a comunidade no esforço para que o ciclo de imunização contra a Covid-19 seja completo

Alta de juros era aguardada, mas decisão pode afetar recuperação econômica, avaliam entidades

Sétimo aumento seguido dos juros pode inibir capacidade de reação de empresas no pós-pandemia, temem especialistas

Câmara Federal aprova projeto que municipaliza regras de proteção de rios em áreas urbanas

Projeto de Lei que regulamenta ocupação de áreas próximas a rios nos municípios agora aguarda sanção presidencial

You must login to view your message.
Redefinir senha Cadastrar