Notícias 18 jul, 18

A administração estadual projeta um déficit de R$ 3 bilhões para o próximo ano, como reflexo da crise que atinge […]

Secretário da Fazenda aponta déficit de R$ 3 bilhões na economia de Santa Catarina

A administração estadual projeta um déficit de R$ 3 bilhões para o próximo ano, como reflexo da crise que atinge as contas públicas. A afirmação foi feita pelo secretário da Fazenda, Paulo Eli, ao participar da plenária da ACIJS e APEVI na segunda-feira (16).

Na palestra no Centro Empresarial, o secretário reconheceu a grave situação financeira, mas garante que as dificuldades são momentâneas. “O Estado não está quebrado, é o Poder Executivo que enfrenta problemas, o que acontece é que estamos sem reservas e isto é reflexo do quadro econômico nacional, se gasta mais do que se arrecada”. Hoje, a folha salarial corresponde a 49,73% da receita do Estado.

De 2015 a 2017, lembra Paulo Eli, as receitas vêm caindo enquanto as despesas com custeio aumentam. Segundo ele, as receitas brutas no ano passado ficaram R$ 800 milhões abaixo do projetado. Como forma de reduzir a folha e equilibrar as finanças, dando fôlego a investimentos em setores como saúde, educação e segurança pública, a administração estadual reduziu cargos comissionados e está buscando outras formas de economia. “Diferente da iniciativa privada, o poder público não pode simplesmente reduzir quadros ou cortar despesas, porque, mesmo com poucos recursos, precisa atender as demandas em presídios, hospitais e escolas, os serviços públicos não mudam”.

O secretário garantiu que o governo não trabalha com a possibilidade de aumento de impostos, priorizando a melhora na arrecadação a partir da maior eficiência da máquina pública e nos controles de gestão financeira. Defende o maior estímulo ao setor produtivo, como forma de melhorar o desempenho da economia, e maior arrecadação. “Sem desonerar a produção não temos como manter o Estado competitivo”, resume.

Outra crítica é quanto à centralização de recursos pela união. “No modelo atual, além de deter o poder político, Brasília detém, também, o poder tributário, tratando os Estados como subordinados. É um centralismo que prejudica o desempenho dos Estados e municípios, onde estão as principais demandas. Sem uma reforma tributária condizente com o mundo globalizado, que não penalize quem produz e que retire da margem de consumo 40 milhões de famílias que hoje dependem do Bolsa Família, esse quadro não vai mudar. Assim como, sem uma reforma previdenciária, o custeio será sempre maior do que aquilo que se arrecada. O Brasil não tem outra saída para crescer que não passe pela aprovação urgente destas duas reformas”.

 



Confira as

Últimas notícias

Nota de pesar - Yara Fischer Springmann

A ACIJS, representada por sua Diretoria. Conselho Superior e Empresas Associadas, expressa o sentimento de pesar da classe empresarial de Jaraguá do Sul diante do

Ação Social do Núcleo de Voluntariado leva alegria a crianças no Natal

Iniciativa beneficiou crianças assistidas pelo programa Novos Caminhos e também menores da comunidade haitiana do Bairro Vieiras

NOTA OFICIAL – A favor da moralidade, contra o aumento de gastos públicos

Entidade se alinha a manifestações de setores representativos do meio empresarial e da sociedade civil diante de medidas que comprometem a gestão de recursos públicos

ACIJS vê legitimidade em manifestações por mais recursos a rodovias

Entidades representativas do setor produtivo têm atuado no sentido de assegurar continuidade de obras de infraestrutura

NOTA OFICIAL - Fundo Eleitoral 2022

Com a decisão de senadores e deputados federais, Fundo Eleitoral pode utilizar até R$ 5,7 bilhões de recursos públicos, em 2022

Jaraguá do Sul é a primeira cidade de SC a integrar rede nacional de 5G

Projeto vai permitir a aplicação de tecnologia inédita, com a instalação de redes de 5G por meio da integração de antenas às luminárias inteligentes

“Desafio é recuperar posição de destaque de Jaraguá na economia do estado”, diz prefeito Antídio, na ACIJS

Encontro Empresarial marcou encerramento da agenda de plenárias da entidade em 2021

ACIJS inicia campanha de incentivo à segunda dose de vacina contra a Covid-19

Ação busca envolver a comunidade no esforço para que o ciclo de imunização contra a Covid-19 seja completo

Alta de juros era aguardada, mas decisão pode afetar recuperação econômica, avaliam entidades

Sétimo aumento seguido dos juros pode inibir capacidade de reação de empresas no pós-pandemia, temem especialistas

Câmara Federal aprova projeto que municipaliza regras de proteção de rios em áreas urbanas

Projeto de Lei que regulamenta ocupação de áreas próximas a rios nos municípios agora aguarda sanção presidencial

You must login to view your message.
Redefinir senha Cadastrar