Transporte por trilhos é discutido na plenária ACIJS-APEVI

A possibilidade de utilização da malha ferroviária que corta os municípios do Vale do Itapocu, através de uma proposta de transporte com o VLT – Veículo Leve sobre Trilho, foi defendida na reunião da ACIJS-APEVI de segunda-feira, dia 26, pelo engenheiro Luiz Antônio Negri e pelo arquiteto Aurélio Junckes. Veja os slides da apresentação.

Representando a Câmara Temática de Integração sobre Trilhos que em tratando do assunto por iniciativa do Instituto Jourdan, ligado à Prefeitura de Jaraguá do Sul, os dois especialistas discorreram sobre o projeto que agora passa a contar com o interesse de Corupá, além de Guaramirim e do próprio município.

Engenheiro Luiz Negri

Engenheiro Luiz Negri

Conforme o engenheiro Negri, o trabalho vem sendo desenvolvido desde a organização do Pró-Jaraguá (Fórum Permanente de Desenvolvimento) e agora incorporado às políticas públicas que vêm sendo articuladas pelo Instituto Jourdan contam com o apoio da Associação de Arquitetos e Engenheiros, do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura e as três Prefeituras. Segundo ele, atualmente o grupo se dedica ao estudo de viabilidade econômica do projeto, que já foi apresentado à Agência Nacional de Transporte Terrestre e recebeu parecer favorável.

Arquiteto Aurélio Junckes

Arquiteto Aurélio Junckes

Na exposição durante a plenária, os dois especialistas destacaram a importância de utilizar o trecho com trilhos mesmo com a transposição da malha, saindo da área central e de trechos urbanos para outras regiões de menor fluxo. “É importante que o trilho permaneça onde está, que os modais sejam interligados e mais tarde façam a conexão com outras regiões do Estado. São 33 quilômetros de trilhos que podem ajudar na mobilidade urbana”, afirma Luiz Antônio Negri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *