aaa

Quero empreender, mas ainda estou perdido

Nós brasileiros sonhamos em ter nosso próprio negócio e ser dono do próprio nariz. Mas muitas vezes nos sentimos perdidos e não sabemos por onde começar. Os livros são excelentes guias, pois nos ajudam a encontrar nosso estilo, expandir o repertório, aprender a definir e bater metas.

Sentir-se perdido é algo natural. É o sentimento de não saber para onde ir, ou não saber como resolver um determinado problema ou desafio. Isso acontece porque o evento é novo e nos causa surpresa, ainda nos falta conhecimento e experiência de vida. Com o passar do tempo vamos sendo surpreendidos por muitos eventos e em cada um deles vamos acumulando aprendizados. Esse processo de aprendizado nos dá condição de enfrentar o mundo, equilibrar as demandas e participar das dinâmicas sociais.

A questão é que aprender pela vida e somente pelas experiências cotidianas é um grande limitado, pois ao invés de se projetar através de conhecimentos e reflexões de muitos grandes autores e pensadores, nós vamos dando cabeçadas a cada etapa, praticamente reinventando a roda.

Por isso a leitura é tão importante. Ela nos dá acesso à cabeça dos pensadores, nos coloca perto de suas ideias, sonhos, medos e visões de mundo. Adquirimos, a cada leitura, novas lentes para ver o mundo e a partir desses novos saberes somos capazes de enfrentar desafios pessoais com mais segurança e conhecimento.

Um passo importante para quem sonha em empreender, mas ainda está perdido, é olhar para dentro, refletir, desenvolver sua autoconsciência e ampliar suas capacidades de pensar. Ir para ação e empreender é importante, contudo, quando se está perdido não é a melhor alternativa, ela pode causar muitos problemas e dores. A construção de repertório; capacidade de pensar com profundidade; conhecimento de si, de suas limitações e potencialidades; é o ferramental essencial para que o empreendedor atinja altos níveis.

Precisamos agir em relação ao sentimento de estar perdido e sem rumo, com isso devemos ler mais, trocar ideias com pessoas que nos inspiram e ter referências. A fase seguinte será definir nossas metas e agir em relação a elas: empreender.

Abaixo vamos conhecer alguns livros que são fonte de inspiração. Nos motivam a agir, organizam as ideias e servem como importante base.

Em busca de sentido – Viktor Frankl

O maior desespero de um ser humano é viver sem ter pelo que viver. É seguir o dia a dia sem nenhum objetivo, nenhum sonho. É passar uma vida levando um dia de cada vez, onde nada faz parte de um objetivo maior. Viktor Frankl sobrevivente do holocausto e autor do best seller “Em busca de sentido” viu nos campos de concentração que os indivíduos que mais morriam, eram os que não viam mais sentido algum em viver. Em nossas vidas precisamos mais do que coisas. Precisamos de uma razão, uma direção que nos mantenha de cabeça erguida mesmo quando as coisas parecem sem solução. O sentido não precisa ser absurdamente grande e transcendental. Podemos viver e lutar por uma memória, por nossos filhos, pais, cônjuges, por uma causa social ou pela arte. Mas não podemos continuar saudáveis e com alto potencial de vida sem visão de futuro, sem um lugar para chegar ou um objetivo para conquistar.

O poder dos quietos – Susan Cain

Autoconsciência é um dos componentes mais importantes para um empreendedor. Pois o empreendedor precisa se conhecer, saber quais são suas forças e fraquezas, pontos fortes e fracos, até onde aguenta em uma negociação, qual é seu estilo, como você reage às situações. Muitos empreendedores são introvertidos, e acham isso um problema como se fosse errado ser reservado e quieto. Na realidade o problema é não se conhecer e sair agindo de forma cega, sem estratégias. Cada pessoa tem uma personalidade e ela dita a forma como o indivíduo encara e lida com o mundo. O empreendedor precisa entender seu perfil e trabalhar através dele; não contra ele. Precisamos conhecer nossas forças e fraquezas e agir estrategicamente.

A coragem de ser imperfeito – Brené Brown

Muitas vezes ficamos parados com medo de tentar algo novo por simples medo de parecer ridículos, errados, fora dos padrões. A autora Brené Brown traz importantes discussões sobre o erro e fracasso. Brené mostra porque devemos ser mais corajosos, se expor mais e correr riscos. Estar aberto à vida, aos relacionamentos e outras oportunidades exige coragem; coragem para ser imperfeito, para ser vulnerável. Os relacionamentos só se dão quando nós baixamos a guarda, paramos de criar resistências e nos entregamos as possibilidades. A vulnerabilidade, a coragem de ser imperfeito não é uma fraqueza. Pode ser estratégico e inteligente uma vez que tivermos consciência e conhecimento.

A única coisa – Gary Keller e Jay Papasan

A marca de grandes realizadores é o foco e a simplicidade. Não é possível ir longe tendo a atenção dividida e uma porção de desejos desorganizados. O dia a dia é repleto de oportunidades e a avalanche de informação pode facilmente nos tirar dos trilhos. Só uma mente lúcida e conhecedora de si pode tomar decisões inteligentes, sem perder o foco e a visão de longo prazo. A única coisa é uma forma de pensar, é uma maneira de enfrentar o caos do mundo, com uma reflexão norteadora: qual é minha única coisa? Através de questionamentos e dicas de produtividade, Gary Keller e Jay Papasan colocam luz sobre nossas ansiedades e nos colocam em direção de nossas metas.

Maestria – Robert Greene

Muitas vezes ficamos convencidos que há algo de errado conosco. “Talvez algumas pessoas nasceram para brilhar, mas eu não”. Em “Maestria” Robert Greene desenvolve uma pesquisa a fim de descobrir se a maestria acontece por acaso, se é loteria genética ou seria a maestria a consequência de uma série de atitudes e escolhas tomadas ao longo dos anos. Esse livro acalma algumas de nossas ansiedades. O autor levanta diversas histórias e em todas elas temos um componente em comum: a paciência. Ninguém alcançou a maestria da noite para o dia, foram anos, milhares de horas de esforço e foco obstinado. O aprendizado principal do livro é que descobrindo nossa paixão, o principal componente para a maestria é a prática diária e consistente por anos a fio.

Outliers – Malcolm Gladwell

Em “outliers” Malcolm Gladwell desconstrói os mitos de sucesso. Ele vai a fundo nas histórias de sucesso, nas épocas que aconteceram e busca entender quanto foi mérito pessoal e quanto foi as circunstâncias da vida e do tempo que catapultaram grandes empresários. Gladwell discute no livro que sucesso vai além da genialidade do indivíduo. O livro é importante pois nos provoca o pensamento e o desmonte dos mitos do sucesso explosivo e do fácil florescer.

Quando acreditamos nas histórias sem entender seus porquês, acabamos atribuindo talentos e destinos sobre humanos nos homens de sucesso, mistificando suas realizações e os distanciando da realidade.

Inteligência Emocional – Daniel Goleman

Por que grandes cargos não são ocupados sempre pelos de mais alto QI? Por que grandes cargos são quase sempre ocupados por pessoas medianas? Através de uma nova abordagem sobre sucesso e inteligência o autor e pesquisador Daniel Goleman explica que QI não compõe toda equação; mais do que inteligência para calcular, fazer dissertações e interpretar materiais complexos, o indivíduo precisa de inteligência emocional para lidar com os dramas e desafios da vida, controlar impulsos, motivar-se, controlar ansiedade, ser empático e cultivar relacionamentos.

O sucesso não se trata somente de inteligência para fazer contas e criar soluções para problemas. Ele tem a ver com relacionamentos, como fazemos alianças e lidamos com as dinâmicas sociais. É na interação do dia a dia, no lidar com pessoas e no gerenciamento pessoal que pessoas comuns galgam grandes posições.

Como fazer amigos e influenciar pessoas – Dale Canergie

Algo parece óbvio ao falar, mas é muito negligenciado: relacionamentos. O mundo trata-se de pessoas. Pessoas comprando, pessoas vendendo, pessoas criando, pessoas destruindo, pessoas convencendo, pessoas ensinando, pessoas…

Tudo tem a ver com relacionamentos, com interação entre pessoas. Aquele projeto, aquele emprego, aquele sonho, tudo vem através de pessoas que se conectam, colaboram, geram valor e oportunidades. Por isso é essencial conhecer sobre pessoas e transitar no mundo com mais conhecimento e estratégia. O clássico “como fazer amigos e influenciar pessoas” cabe muito bem como ponto de partida para entender alguns erros clássicos de convivência e fazer os ajustes necessários. No final das contas sempre se trata de pessoas conversando e decidindo pelo sim ou pelo não.

Via: Administradores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *