aaa

Propan capacita Núcleo de Panificação e Confeitaria

A qualidade das panificadoras da região deve aumentar em 2014. Desde o início desta semana, dez associados do Núcleo de Panificação e Confeitaria têm frequentado diariamente o Cejas, em treinamento no projeto Propan Pleno, do Instituto Tecnológico de Processos e Competitividade (ITPC).

Segundo a consultora Regina Lopes Cardoso, as empresas que participaram do Propan Pleno em 2012 registraram aumento de 20% no faturamento anual

Segundo a consultora Regina Lopes Cardoso, as empresas que participaram do Propan Pleno em 2012 registraram aumento de 20% no faturamento anual

O Programa de Desenvolvimento da Alimentação, Confeitaria e Panificação (Propan) é realizado em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Panificação e Confeitaria (Abip). Os treinamentos e consultorias são realizados em todo o Brasil. A meta é capacitar profissionais de dez mil empreendimentos, além de contribuir para o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do trigo.

Diante desse cenário, o Propan Pleno oferece treinamento em sete módulos. São para os setores financeiro, marketing, gestão de pessoas, atendimento, vendas, gestão de ambiente e produção. O primeiro módulo iniciou em 10 de fevereiro e termina nesta sexta-feira (14). O curso encerra somente em setembro.

Segundo a consultora Regina Lopes Cardoso, as empresas que participaram do Propan Pleno em 2012 registraram aumento de 20% no faturamento anual. Em 2013, o crescimento foi de 8,57%, em relação à economia anual, que chegou a 10,5%. Ao longo dos oito anos de Propan, o faturamento médio das panificadoras que receberam a capacitação tornou-se cerca de 32% mais alto do que a média brasileira.

“É um ramo que está crescendo muito devido ao avanço das tecnologias. Hoje, não é só uma padaria. Vemos empresas que inovam e têm cafeteria, fast food, autoatendimento, lanchonete. Há padarias na Europa, por exemplo, no metrô, onde você escolhe o produto na máquina e quando chega em casa ele já está lá”, exemplifica Regina.

A consultora afirma que o maior problema das padarias brasileiras – inclusive as de Jaraguá do Sul e região – é a falta de mão de obra qualificada. “Isso impede o crescimento porque nem sempre os empresários podem investir naquilo que precisam para crescer; porque não tem mão de obra qualificada. Esse é o grande impasse que freia o crescimento no Brasil todo. É unânime”, declara.

Contudo, Regina afirma ter sentido algo positivo nos dez nucleados: união. “Eles são concorrentes, mas são parceiros”, diz. “Às vezes, um tem uma visão, outro tem outra visão e a união faz esse crescimento que vemos no Brasil. Hoje, temos que abrir os nossos pensamentos, porque a pessoa que não estiver preparada para essa evolução, realmente, sai do mercado”, afirma a consultora.

As empresas participantes do treinamento são Atelie do Sabor, Cantinho Doce, Padaria Fachini, Doce Segredo, Distribuidora Martini, Padaria Nane’s, Padaria Flohr, Padaria Tecnopan, Panificadora da Nona e Pront Pani. Elas representam as cidades de Jaraguá do Sul, Balneário Camboriú, Schroeder e Guaramirim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *