aaa

Pesquisa revela características do mercado de trabalho em Jaraguá do Sul

Pesquisa que traça uma radiografia do quadro de mão de obra em Jaraguá do Sul foi apresentada na segunda-feira, durante a plenária ACIJS-APEVI, indicando questões importantes para a retenção de trabalhadores e a melhoria da competitividade das empresas do município.

O trabalho começou a ser feito em 2013 e mobilizou uma equipe de especialistas com apoio da empresa WEG, da Católica de Santa Catarina e do Sesi – Serviço Social da Indústrias. Conforme o diretor de Recursos Humanos da WEG e coordenador da pesquisa, Hilton José da Veiga Faria, os resultados mostram algumas situações e indicam caminhos para o setor produtivo.

Diretor de Recursos Humanos da WEG e coordenador da pesquisa, Hilton José da Veiga Faria

Diretor de Recursos Humanos da WEG e coordenador da pesquisa, Hilton José da Veiga Faria

Um dos dados mostra que 60% dos trabalhadores do município não são nascidos em Jaraguá do Sul. “É uma informação relevante na medida em que mostra que a cidade tem atratividade, e o desafio é se estabelecer condições para que esses trabalhadores se fixem definitivamente no município”, assinala. Segundo ele, as empresas de maneira geral oferecem vantagens, mas ainda há necessidade de mais ações que atendam às expectativas dois trabalhadores, na área do lazer, saúde e habitação, por exemplo.

O executivo disse que o fato de a pesquisa ter apontado que as mulheres apresentam o maior volume de solicitações de desligamento (demissões) é relevante. Hilton diz que a falta de creches é um indicativo importante a ser considerado. “Se não tem aonde deixar seu filho com segurança e conforto, ela prefere abandonar o trabalho”.

Hilton Faria comentou que a pesquisa ainda será finalizada e que servirá de referência para ações que, segundo ele, devem envolver a iniciativa privada e o poder público. “Cada vez mais é preciso pensar na retenção de talentos, assegurando um desenvolvimento sustentável e melhoria da competitividade das empresas”, completa.

Números da pesquisa

  • 61,8% dos trabalhadores não são naturais de Jaraguá do Sul
  • 68,3% moram há mais de 10 anos em Jaraguá do Sul
  • 65% são casados ou mantém união estável
  • Mais de 60% tem casa própria
  • 68,1% dos homens utilizam carro ou moto para ir ao trabalho
  • 53,1% das mulheres utilizam o transporte coletivo, vans ou vão a pé ao trabalho
  • O homem permanece mais tempo no emprego

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *