FIESC lança Câmara de Desenvolvimento da Micro e Pequena Indústria para promover avanços do setor

fs-6_1

A representatividade da micro e pequena indústria catarinense ganha reforço a partir desta quarta-feira (13) com a implantação da Câmara de Desenvolvimento da Micro e Pequena Indústria, da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). A implantação do grupo de trabalho visa a fortalecer as empresas que, em Santa Catarina, respondem por 97,1% do setor industrial. Mais de 40 empresários participaram do lançamento da Câmara, realizado em Florianópolis.

Os presidentes da ACIJS, Giuliano Donini, e da APEVI, Leandro Schmöckel Gonçalves, acompanharam a primeira reunião da Câmara, ao lado de outras lideranças do setor produtivo e de entidades de todo o Estado. O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, disse que a Câmara tem como principal desafio retribuir a contribuição dessas empresas para a cadeia produtiva das indústrias. “Vamos propor medidas concretas que possam auxiliar no desenvolvimento da micro e pequena, ampliando o desempenho e a rentabilidade delas por meio da facilitação dos negócios e do estímulo à produtividade”, salienta Côrte. “Temos convencimento da importância do desenvolvimento da micro e pequena para o Estado e para o País”, acrescenta.

Santa Catarina lidera o ranking de geração de empregos no Brasil com 8,5 mil postos de trabalho criados até maio de 2016, dos quais 4,9 mil foram gerados pela micro e pequena indústria, de acordo com dados do Ministério do Trabalho. Pelo menos 24% dos trabalhadores dessas empresas são jovens de até 24 anos. As micro e pequenas empresas respondem por 35,1% do PIB do Estado. A maior parte delas está concentrada no segmento têxtil e confecção (23%) e na construção civil (22%).

câmara da mpi_foto Filipe Scotini

Presidente da Câmara, o vice-presidente regional da FIESC e presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Jaraguá do Sul, Célio Bayer, destacou entre os desafios a serem enfrentados pelo grupo de trabalho estão o aumento da produtividade, a melhoria da infraestrutura, o acesso a financiamentos, a qualificação de capital humano, inovação e normas e burocracia. “Vamos atuar ainda na melhoria do tempo médio para abertura de empresas no Brasil, que hoje é de 87 dias”, acrescenta.

O secretário de desenvolvimento econômico sustentável, Carlos Chiodini, apresentou as políticas de fomento às micro e pequenas empresas. “Já desenvolvemos alguns programas de estímulo ao micro empreendedor como o SC Bem + Simples, que tem como foco facilitar abertura e fechamento de empresas, além de aperfeiçoar o processo de registro mercantil, e o Juro Zero, que já subsidiou R$ 146 milhões para o financiamento de 51,6 mil operações”, destacou. Além de Chiodini, o deputado estadual Vicente Caropreso também acompanhou o lançamento da Câmara, que realizará a próxima reunião em setembro no município de Jaraguá do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *