aaa

Entidades do CEJAS reafirmam apoio à manifestação de domingo, dia 13

Sem título

“Nós não temos nenhuma dúvida de que a sociedade deve assumir o papel de cobrança e ao protestar tem a chance de tornar evidente esse sentimento de descontentamento com os rumos do Brasil diretamente aos governantes e agentes públicos”. A posição é do presidente do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (CEJAS), Paulo Luiz Mattos, a respeito do movimento nacional programado para o domingo, dia 13, previsto para ocorrer em todo o Brasil como forma de protesto à situação do País.

Paulo Mattos ratificou, na plenária realizada na segunda-feira, dia 7, o teor do manifesto público divulgado pelas entidades que integram o CEJAS – ACIJS, APEVI, CDL,  Sindicato do Comércio Varejista de Jaraguá do Sul, Sindicato das Indústrias da Alimentação, Sindicato das Indústrias do Vestuário, Fiação e Tecelagem, Sindicato das Indústrias do Mobiliário, Sindicato das Indústrias da Construção Civil e de Artefatos de Cimento Armado do Vale do Itapocu e Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico.

“As entidades ligadas ao Centro Empresarial assumiram esta posição firme de abraçar a esta causa que é nacional. Não apoiar este movimento legítimo significa estar em concordância com o que ocorre. Não é somente uma questão que diz respeito à economia, ao que está afetando o setor produtivo, mas sim a todos os segmentos sociais porque os efeitos da crise moral impactam em todos os cidadãos”, avalia o empresário.

Retomada do Crescimento

Paulo Luiz Mattos, ao lembrar que o sentimento pertence aos brasileiros que acreditam na retomada do crescimento, enfatiza o que se busca com o recado das ruas. “A sociedade quer mais do que nunca uma solução, e se esta solução passa pela questão política, que ela surja logo, porque o Brasil não suporta mais ver seus interesses sendo prejudicados pela disputa política. Com a solução do impasse político certamente teremos um ambiente favorável que se refletirá em uma economia forte, que é o que o país precisa com urgência”.

E completa: “As entidades do Centro Empresarial apoiam integralmente a manifestação e com certeza o setor produtivo estará presente ao lado de que quer um país melhor. Estamos alinhados a este movimento, pois não podemos perder esta oportunidade histórica. Precisamos virar esta página e voltar a ter um país com visão de desenvolvimento”.

Íntegra do Manifesto Público do Centro Empresarial

Diante da atual situação política e econômica do Brasil, o CEJAS – Centro Empresarial de Jaraguá do Sul manifesta preocupação com a falta de perspectivas de retomada do crescimento causada pelo descrédito absoluto das instituições que deveriam nortear decisões vitais para o conjunto da sociedade.

O atual cenário em que o País se apresenta, com a retomada da inflação e perda do poder de compra da população, elevação de juros e seus impactos na atividade produtiva, redução dos níveis de produção em todos os setores da indústria e reflexos no comércio e setores de serviços, da acentuada projeção de queda do PIB e o rebaixamento dos índices de confiança a investimentos internos e externos, agravados pela ausência de uma agenda positiva por parte do governo federal, e o completo engessamento da pauta de deliberações no Congresso Nacional como consequências diretas dos sucessivos escândalos diariamente apresentados à opinião pública, que representam verdadeiros escárnios a todos os cidadãos e resultam a cada dia com mais intensidade na perda absoluta de perspectivas, exige um posicionamento imediato por parte dos segmentos organizados.

É inadmissível que o atual quadro de perda da credibilidade dos agentes públicos se mantenha em tais patamares e comprometa o futuro de toda uma nação que historicamente tem no trabalho e na confiança os principais elementos responsáveis pelo seu desenvolvimento.

É chegado o momento de governantes e representantes políticos agirem efetivamente em favor do Brasil, utilizando do bom senso e se dedicando mais aos interesses do País e menos às mazelas que vêm caracterizando as articulações políticas e a prática de uma ideologia demagógica, bem como oportunizadas ao judiciário e suas instâncias total autonomia para que a nação seja passada a limpo e a normalidade completamente retomada.

Movimentações articuladas de maneira pacífica e respeitando a democracia, como os atos programados para o dia 13 de março, devem ser compreendidas como um gesto de atitude de um povo que anseia por mudanças urgentes e serem merecedores do total apoio daqueles que desejam um país unido e soberano.

Jaraguá do Sul, 2 de março de 2016.

CEJAS – Centro Empresarial de Jaraguá do Sul

  • ACIJS – Associação Empresarial de Jaraguá do Sul
  • APEVI – Associação das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Vale do Itapocu
  • CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul
  • Sindicato do Comércio Varejista de Jaraguá do Sul
  • Sindicato das Indústrias da Alimentação de Jaraguá do Sul
  • Sindicato das Indústrias do Vestuário, Fiação e Tecelagem de Jaraguá do Su
  • Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Jaraguá do Sul
  • Sindicato das Indústrias da Construção Civil e de Artefatos de Cimento Armado do Vale do Itapocu
  • Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Jaraguá do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *