Empresários de Jaraguá do Sul querem atitude política diferente

DSC_0019

Representado pelas entidades que congregam a indústria, comércio e área de serviços, cujas empresas são associadas da ACIJS, APEVI, CDL e Sindicatos Patronais e juntas formam o Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, o setor produtivo apresentou nesta segunda-feira (18) sugestões aos candidatos à Prefeitura e Câmara de Vereadores no pleito de 2 de outubro.

O posicionamento da classe empresarial deixa claro que o modelo de gestão pública precisa passar por uma mudança de postura da classe política, considerando o atual cenário econômico e o nível de credibilidade de representantes do executivo e do legislativo.

“A intenção é contribuir com o processo de governabilidade do município de Jaraguá do Sul, não se trata de pleitos específicos da classe empresarial ou de segmentos produtivos, estes pontos merecerão atenção detalhamento de cada setor do município posteriormente. O que buscamos agora é o envolvimento da gestão pública com um ambiente que estimule cada vez mais o empreendedorismo e consequentemente promova melhor qualidade de vida à comunidade”, resume o presidente da ACIJS e do CEJAS, Giuliano Donini, lembrando que entidades que representam setores organizados da sociedade civil “têm o dever de participar do processo político”.

Antes de divulgar o teor das sugestões apresentadas na plenária aberta à comunidade, pela manhã o conteúdo foi exposto a lideranças de partidos políticos. “Entendemos estas proposições como um esforço necessário no restabelecimento da capacidade própria de investimento do município, hoje inferior a 2% do orçamento anual”, assinala Donini.

Dentre as sugestões apresentadas aos futuros ocupantes do Poder Legislativo está a manutenção dos vencimentos dos vereadores nos mesmos patamares praticados atualmente, a limitação a máximo 37 funcionários entre efetivos, comissionados e indicados políticos, rejeição do número de vereadores (11 atualmente), e a não construção de uma nova sede para a Câmara. Para o futuro prefeito, as sugestões incluem que seja direcionado no mínimo 12% do orçamento anual para investimentos em infraestrutura, com recursos próprios, a otimização de custos e da capacidade administrativa com a redução das atuais 13 para 8 secretarias e 2 autarquias, não contratação de novos servidores ao longo do próximo mandato, aprimorando a formação no atual quadro do funcionalismo e desenvolvendo processos de meritocracia, alocando os melhores talentos nos cargos mais pertinentes às suas competências, e o aprimoramento da gestão para aumento da capacidade de investimentos com recursos próprios, focados em infraestrutura e mobilidade urbana, visando alcançar o patamar de 12% até o quarto ano de gestão, com incrementos contínuos, partindo-se de 5% no primeiro ano e crescendo para 8%, 10% e 12% (doze por cento) ao término do mandato.

Além da divulgação das sugestões às candidaturas, o CEJAS também apresentou uma ação para conscientizar a comunidade quanto à valorização do voto. “O objetivo é motivar o voto consciente, para que as escolhas valorizem a qualidade da representação que o município merece, mas partindo da ideia de que é preciso conhecer os candidatos e perceber neles o comprometimento com o município”, explica.

A ação vai consistir de materiais de divulgação e de vídeos que serão divulgadas nas redes sociais e tem como mote a frase “Um vereador pra chamar de seu”, com ênfase na aproximação dos futuros parlamentares com a comunidade. “O objetivo é contribuir com a evolução do processo eleitoral, o que também dependerá do nível das candidaturas apresentadas aos eleitores”, reitera Giuliano Donini.

Conheça o teor do documento com proposições apresentadas pelas entidades do CEJAS aos partidos políticos com sugestões aos candidatos clicando AQUI!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *