IBGE aponta crescimento da indústria catarinense

Apesar de o ritmo da produção industrial brasileira ter aumentado entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, o número de vagas de emprego nesse setor não variou. De acordo com as informações divulgadas pelo IBGE nesta terça-feira (18), a média nacional de produção cresceu em 2,9%, enquanto a de empregos apresentou 0%.

Dos 14 locais do país pesquisados, a produção industrial teve saldo positivo em dez. Santa Catarina teve a menor taxa positiva, 0,9%; A maior foi de Minas Gerais, 7%.

O emprego industrial teve variação nula em janeiro de 2014, após apresentar índices negativos em novembro (-0,1%) e em dezembro (-0,4%) de 2013. Em comparação a janeiro de 2013, foi registrada queda de 2% e houve redução do contingente de trabalhadores em 12 dos 14 estados pesquisados.

A Região Norte e Centro-Oeste (1,3%) e Santa Catarina (0,4%) apontaram as contribuições positivas sobre o emprego nesse setor, em janeiro de 2014. Impulsionados, em grande parte, pelos setores de alimentos e bebidas (2,5%), de máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (7,8%) no primeiro local; e de alimentos e bebidas (2,9%), borracha e plástico (6,4%), madeira (10,5%) e de máquinas e equipamentos (3,4%), no segundo.

O valor da folha de pagamento real apontou crescimento de 3,7%, em janeiro deste ano. Em Santa Catarina, o registro é de 4,9% em função dos avanços nos ramos de borracha e plástico (27,5%), máquinas e equipamentos (9,3%), vestuário (10,4) e metalurgia básica (18,5%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *