aaa

Desafios do turismo em Jaraguá do Sul são discutidos em seminário

A retomada do turismo passa por ações coordenadas que minimizem os impactos da pandemia do coronavírus, muita criatividade e foco nas viagens e passeios regionais. Em Jaraguá do Sul, os principais direcionamentos da Diretoria de Turismo são o Cicloturismo, Gastronomia, Turismo Religioso e Agroturismo, temas que foram abordados no 3º Seminário de Turismo de Jaraguá do Sul, realizado nos dias 9 e 10 de dezembro. 

Durante o evento on-line, iniciativa do Núcleo de Hospitalidade da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação, painelistas contribuíram com seus olhares para que sejam traçadas as diretrizes da retomada do setor turístico no Município. Vale lembrar que está em andamento a Capacitação em Agroturismo e que recentemente a Câmara de Vereadores aprovou o projeto de Turismo Rural no Município. 

O Seminário abordou vivências e trouxe lições de adeptos do cicloturismo, como Charles Zimmermann, Marinês Ronchi, criadora do Pedal da Mari, e do casal Antônio Olinto e Rafaela Asprini.  Na gastronomia, Alex Caputo (Restaurante Compota), Elisiane Chiodini (Mãejerona) e Ângela Schroeder (Schroeder Platz), em que o foco foi a criatividade, tanto na adaptação de cardápios, como na implantação e incremento dos serviços de delivery.
Sobre o Turismo Religioso, os painéis contemplaram o turismólogo e empresário Carlos Augusto Silveira Alves, a Irmã Edna Bittencourt, da Diretoria do Instituto Padre Aloísio, e Natália Heringer, coordenadora de Turismo do Sebrae-MG. Do Agroturismo, os palestrantes foram os agroempreendedores Evandro e Andressa Rux, da Casa Rux, e Jaqueline Foss, do Roteiro Raízes Coloniais, de Gramado (RS), com moderação da coordenadora do projeto Acolhida na Colônia, Lucilene Assing.

Roteiros domésticos é tendência
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Neivor Bussolaro, entende que “essa sintonia de pessoas vai contribuir bastante para a retomada do turismo, que passa a ser mais regional, com roteiros domésticos: “Temos um bom potencial, com outras atividades a serem exploradas”, resume Bussolaro. O diretor de Turismo, Marcelo Nasato destacou a importância de se promover ações em conjunto entre a Prefeitura e as entidades de classe, “para um novo direcionamento do turismo, contribuindo para uma nova matriz econômica de Jaraguá do Sul. Queremos incentivar o turismo rural, o cicloturismo e os eventos em geral”. 

A coordenadora do Núcleo de Hospitalidade, Cíntia Buzian, acredita no precioso aprendizado que 2020 trouxe ao segmento do turismo, de focar para crescer: “A pandemia nos fez sermos ágeis. A gente precisa acreditar que vai dar certo”. Exemplifica com o setor gastronômico. “Os produtos são muito perecíveis e isso exige tomada de decisão rápida. É uma expertise nova que trazemos para o mercado”.

Cicloturismo em ascensão
“Sempre fui muito curioso, e é a curiosidade que move as pessoas. Viajar de bicicleta, para mim, significa ter contato, encontrar pessoas”, declara Charles Zimmermann, que já percorreu os cinco continentes sobre duas rodas. Charles reconhece que os circuitos de cicloturismo proporcionam segurança em razão das placas de direcionamento ao longo das rotas. “Viagens autônomas é uma tendência, acelerada com a questão da pandemia. É uma tendência que veio para ficar, e no Brasil tem potencial para isso.” De acordo com ele, um dos pontos a serem trabalhados em Jaraguá do Sul e região é a hospedagem ao cicloturista. Destacou as localidades de Rio Manso e Rio do Júlio como potenciais.

Antônio Olinto lembra que quando iniciou as jornadas de bicicleta, em meados dos anos de 1990, “no Brasil, se achava que viajar de bike era para loucos e pagadores de promessas. Passamos a morar em motor home e ir de bicicleta é ter uma interação com as pessoas e experiências com a natureza. O cicloturismo tem tudo para andar junto com o turismo rural”.

Marinês Ronchi conta que começou a se reinventar quando teve contato com o mountain bike. Recorda que o primeiro pedal que organizou foi em maio de 2011, com 16 pessoas, e que de lá para cá o Pedal da Mari só fez crescer: “A bicicleta é libertadora e agregadora, o cicloturismo agrega valor e todo mundo ganha”.

Recebendo no meio rural
A palestrante Andressa Rux destacou os esforços empreendidos desde que a Casa Rux, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (Iphan), passou a receber visitantes e a implantar o “Café Rural” aos finais de semana. “Comecei a fazer os pratos da culinária alemã, buscando sempre o conhecimento. E participar da Capacitação em Agroturismo vem agregando muito conhecimento, muita ajuda, para dar certo na área rural do Rio da Luz”. Evandro Rux enaltece a importância do Seminário pela oportunidade de divulgar o trabalho e troca de experiências com empreendedores de outras cidades. “Nossa expectativa para 2021 é de retomada do turismo regional, e a Capacitação em Agroturismo deu a oportunidade de estar nos aprimorando agora e também conhecer outros empreendedores aqui da nossa região, o que nos fortalece, para uma retomada mais rápida do turismo no ano que vem”.

Capacitação em andamento
“Foi uma honra participar da 3ª edição do Seminário de Turismo de Jaraguá do Sul. Todos os temas abordados nos painéis foram de importante relevância para o momento e estão de acordo com os modelos de turismo que estamos apostando, durante e pós-pandemia”, pontua Lucilene Assing. Lembrou da Capacitação em Agroturismo. “Continuamos com as atividades remotas e todos se empenharam para dar continuidade. Mais três meses e será possível comercializar o roteiro de Agroturismo de Jaraguá do Sul, conclui Lucilene.

Fé e partilha
“Foi o segundo seminário que participei. Em vista da pandemia, foi um encontro excelente. Houve partilha, incentivo e conhecimento do que já temos. Não tenho dúvidas de que esse seminário abriu portas e é um grande incentivo ao empreendedorismo”, assegura Irmã Edena Bittencourt. “Há uma grande riqueza em Jaraguá do Sul a ser explorada. Temos a causa da Beatificação do Servo de Deus Padre Aloísio e a Chiesetta Alpina, que abrem as portas para o turismo religioso de uma forma bem estruturada”, salienta. “O apoio da Acijs, de todas as entidades envolvidas e Prefeitura, de uma forma concreta, acompanhando e incentivando trouxe a esse seminário conhecimento, incentivo de união e apoio de todos os interessados. Vamos dar as mãos e construirmos juntos uma bela rota turística para quem vem visitar Jaraguá do Sul”, destaca Irmã Edena, com entusiasmo. [Com informações da Prefeitura de Jaraguá do Sul]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *