Década de 1940 – O associativismo na época do Estado Novo

A efervescência do Estado Novo do governo de Getúlio Vargas impôs inúmeras restrições às comunidades de colonização europeia. No período de 1940 a 1950, a ACIJS interrompe temporariamente suas atividades devido à Campanha Nacionalista do governo que impôs às comunidades de colonização europeia a proibição de reuniões, fechamento de escolas alemãs, entre outras restrições.

Jaraguá do Sul entre 1940 a 1950

Vista aérea de Jaraguá do Sul na década de 40

Em 1941 a entidade realizou uma única reunião.  Em pauta, a discussão sobre o aumento de impostos sobre o arroz que os empresários consideravam elevados e inadequados.

A energia elétrica fornecida a Jaraguá do Sul era gerada pela EMPRESSUL, uma empresa privada com capital majoritário alemão, na Rua Epitácio Pessoa. Em 1943, a companhia sofreria uma intervenção federal, o que causou a escassez de investimentos para a ampliação e melhoria dos serviços.

O período da 2ª Guerra Mundial, de 1939 a 1945, levou o corte das importações. No entanto, em Jaraguá do Sul algumas empresas crescem, vendendo seus produtos para outros estados do País. Apesar dos reveses que a Guerra provocou na economia local, também houve avanços. Ela colocou desafios diante do empresariado jaraguaense. O período exigiu a readaptação do parque industrial, com a busca de novos produtos, tecnologias e mercados.

2 PAINEL 02 FOTO5 Inauguração da  Prefeitura, Camara de Vereadores e Fórum - outubro de 1941

Inauguração da Prefeitura, Câmara de Vereadores e Fórum – outubro de 1941.

PAINEL 02 FOTO2 Estação Ferroviária de Jaraguá do Sul 1940

Estação Ferroviária de Jaraguá do Sul – 1940

Direitos reservados ao JVA – Arquivo Histórico/Acervo Jornal do Vale, PMJS – Arquivo Histórico/Acervo Prefeitura e ACIJS – Associação Empresarial de Jaraguá do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *