Consulado dos EUA divulga oportunidades de negócios a empresários

2896

Mesmo em momento de crise, o mercado internacional é uma ótima alternativa para as empresas brasileiras, especialmente nas relações com os Estados Unidos. A opinião é do agente comercial André Leal, do Consulado dos EUA no Brasil, em conversa com empresários na plenária semanal da Acijs e Apevi na segunda-feira.

O especialista lembrou que o Brasil tem os Estados Unidos como o segundo maior parceiro internacional seja como comprador ou como vendedor, mas mesmo assim muitas vezes surgem dúvidas sobre como as empresas podem proceder e a melhor maneira de se ajustar para ter o melhor resultado.

“Muitas vezes oportunidades de negócios são deixados de lado porque as empresas não conhecem os mecanismos para comprar dos Estados Unidos ou vender para as empresas de lá. O nosso trabalho é justamente mostrar estes caminhos e auxiliar nas negociações”, assinala.

Clique aqui e baixe a apresentação em PPT do agente comercial, André Leal.

Conforme André, o momento é propício para o incremento das relações comerciais entre os dois países. “Nos últimos 10 anos o comércio entre Brasil e Estados Unidos cresceu 170%, e somente as exportações em 2014 tiveram crescimento de 10% em relação a 2013, o que demonstra o quanto o país é um parceiro estratégico para a economia norteamericana”. O executivo da agência de fomento, também destaca a posição geográfica favorável para que o Brasil tenha penetração em mercados novos com apoio dos EUA, como México e Canadá, através de parcerias de escritórios comerciais, que possibilite resultados em escala e com sustentabilidade e não uma negociação oportunista.

Em relação a segmentos, André disse que há demanda nos EUA em setores como manufaturas da indústria metalmecânica, aeroespacial e de Tecnologia da Informação, entre outros, mas com ênfase em empresas de médio e pequeno porte. Outro setor tradicionalmente ativo do Brasil que desperta interesse de compradores dos EUA é o de agronegócios. “Mas sem dúvida produtos com valor agregado sempre se se destacam, tanto para quem vende como para quem compra, e no caso da indústria norteamericana há o de bens de capital como máquinas e equipamentos.”

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *