Boas informações reduzem riscos que podem inviabilizar investimento, sugere especialista

 

Professor de finanças e de orçamento do Centro Universitário Católica de Santa Catarina, Jorge Harry Harzer apresentou resultado de tese de doutorado que aborda os fatores de risco financeiro em projetos de investimentos. Na palestra durante a plenária da ACIJS e APEVI, nesta segunda-feira (04/9), o especialista lembrou que o ponto de partida em qualquer projeto de investimento é a realização de uma análise de mercado, considerando todas as variáveis que cercam qualquer aplicação de recursos.

“Quando faz algum investimento, seja de qualquer tamanho, o empresário precisa ficar atento para potencializar recursos que está aplicando para que não seja um gasto e sim possibilidade de retorno ao seu negócio. É algo que deve ser bem mensurado, mesmo que nem sempre permita ao investidor uma perspectiva imediata do que ele terá como resultado. Na administração existem meios para que se saiba qual a possibilidade real de retorno, em quanto tempo, mas é prudente também que o empresário leve em conta que tipos de riscos ele corre, se aquele é o momento certo para uma tomada de decisão às vezes tão importante”, assinala Jorge Harzer.

Segundo a avaliação do professor, “o risco é prerrogativa a qualquer investimento”, mas que pode ser minimizado com alguns cuidados. “O estudo que realizamos traz esta dimensão, de que o risco existe, mas por outro lado é possível torná-lo menos crítico se forem tomadas medidas simples e objetivas”.

Para a elaboração da tese, o pesquisador conheceu projetos de investidores de Jaraguá do Sul e região, em empresas de pequeno, médio e grande porte. Uma das questões-chave, explica Jorge Harzer, é saber como o investidor dimensiona sua capacidade de investimentos, ou seja, o percentual de comprometimento do seu negócio com a aplica de recursos a novos projetos e qual o percentual que está disposto a ter na probabilidade de perda caso o negócio não dê certo.

“No caso de uma grande empresa estes riscos obviamente são menores porque estas organizações têm estruturas mais completas, profissionais especializados em análises. Mas em empreendimentos de menor porte, para a pessoa que tem como função a tomada de decisão é imprescindível que o gestor se cerque da maior quantidade de informação possível. Isto dará segurança, porque devemos entender que qualquer que seja a decisão do investidor ela se torna irreversível. Quando se percebe que o passo dado foi errado, o prejuízo já existe”, pondera Harzer.

No atual cenário da economia brasileira, afirma o professor, há muitas incertezas quanto ao momento em que um investimento é viável. “Não há como o empresário ter uma assertividade plena do sucesso. Qualquer empresa quer crescer, planeja investimentos, mas a verdade é que no momento não há segurança no País. Quando um investidor não se sente seguro é melhor aguardar as coisas melhorarem e analisar com cuidado as variáveis, que vão das possibilidades de perdas com o custo do financiamento, a quantidade de vendas, o preço, levando em conta sempre o que aplica de recursos e quanto espera obter destes indicadores”, completa Jorge Harzer, informando que o estudo está disponível para download no site da Católica SC.

Confira a íntegra da apresentação do professor Jorge Harzer clicando aqui e o vídeo clicando aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *