aaa

Araquari apresenta a lideranças seu novo perfil de crescimento

reunião facisc Araquari

Incentivada pela Facisc – Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina, Prefeitura e Associação Empresarial de Araquari apresentaram na noite de terça-feira a lideranças da região um panorama da situação do município, considerando os investimentos que têm sido realizados e as projeções para os próximos anos. A instalação de novas empresas, com destaque para chegada da montadora BMW, faz o município situado no norte catarinense experimentar mudanças no seu planejamento, o que deve se intensificar cada vez mais e exigir atenção à questões como mobilidade, saneamento e educação, por exemplo. “Há muitas oportunidades em vários segmentos de negócios e é preciso que os empresários da região se preparem para este novo momento que Araquari vive com a expansão da sua área industrial”, assinala o vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico Clenilton Pereira.

Com crescimento de 11% ao ano, contra 5% da taxa de crescimento do próprio Estado, Araquari busca soluções em infraestrutura para a ampliação da oferta de energia e no abastecimento de água, e já está em tratativas com a Celesc para a construção de uma subestação e com a Casan para o investimento de R$ 26 milhões para atender 80% do município com o tratamento de esgoto. O presidente da Associação Empresarial, Jorge Laureano, lembra que não é apenas em relação ao investimento da BMW da ordem de R$ 700 milhões, com a geração de 1.700 empregos, que requer a atenção ao município que hoje tem 30 mil habitantes e estimativas de chegar a 120 mil moradores dentro de 10 anos. “De uma economia baseada na agricultura, hoje ela já é 90% representada pela indústria porque a cidade tem áreas ótimas para o setor produtivo”.

Com a instalação de empresas que fornecerão ao setor automotivo e o impacto dos novos negócios em vários segmentos da cadeia produtiva, a receita do município que era de R$ 24 milhões em 2008 já chegou cerca de R$ 59 milhões no ano passado, enquanto a projeção de arrecadação com ICMS saltou no mesmo período de R$ 3,8 milhões para R$ 8 milhões em 2012, e o PIB (soma de todas as receitas geradas na economia local) que em 2007 era de R$ 170 milhões pode chegar em 2015 a R$ 3 bilhões e colocar Araquari entre as cidades de melhor desempenho per capita do Estado considerando sua faixa populacional. “É visível que Araquari passa por um período de muito crescimento e isto vai refletir sobre toda a região, o que exige atenção para que ele ocorra de maneira adequada”, comenta o vice-presidente da Região Norte da Facisc Hugo Dequech ao lembrar de questões importantes como a formação da mão de obra e na infraestrutura de maneira geral.

A presidente da ACIJS, Monika Conrads, que participou do encontro, destacou a importância da região pensar o assunto de modo coletivo, integrando poder público e iniciativa privada na cobrança e acompanhamento das demandas que exigem ações governamentais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *