ACIJS apoia novas bases para a educação no Brasil

Morguefile 2 (1)

Educação é uma das agendas que merece permanente atenção da ACIJS, do ensino fundamental aos cursos técnicos e de graduação. Na atual e nas gestões anteriores, a entidade tem se preocupado em buscar meios para que Jaraguá do Sul melhores seus índices na qualificação da mão de obra. Esta questão está elencada como uma das 4 diretrizes do mapa estratégico e todas as iniciativas visando melhorias nos sistemas público e privado de ensino são apoiadas pela entidade como representante da classe empresarial. Neste sentido, a ACIJS mostra-se receptiva à proposta liderada pelo senador Cristovam Buarque de construção do Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação, como assinala o vice-presidente para assuntos de desenvolvimento profissional Moacyr Rogério Sens. Ele avalia que o debate proposto pelo parlamentar é oportuno em um contexto maior de reflexão quanto aos destinos da Educação no Brasil. “Somos favoráveis a uma ampla discussão pela sociedade brasileira no que se refere à melhoria dos indicadores relacionados com a Educação, desta maneira permitindo ao País avanços sociais e sua efetiva inserção no cenário internacional”, resume Moacyr.

Este entendimento está lincado com as preocupações levantadas nos estudos liderados pelo senador – ex-ministro da Educação – porque traduz um sentimento comum aos brasileiros ao propor um novo direcionamento capaz de mudar o quadro de vergonha que a fragilidade do ensino ainda impõe à nação, onde 27% da população adulta se constitui de analfabetos funcionais e 40% sequer concluiu a educação básica. Dentre as premissas levantadas como imprescindíveis no projeto da chamada Revolução Nacional na Educação (RNE), propostas pelo parlamentar, estão relacionadas como pontos principais: mais tempo na escola, dos 4 aos 18 anos; salários melhores para professores, prédios equipados com laboratórios – TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação, mais tempo para leitura e debates, reorientação do método de ensino, combinando teoria e prática etc. Do mesmo modo entendemos ser pertinente iniciativas como a criação da carreira nacional de professor com salário digno ao exercício desta profissão, com escolas para a formação do professor em parâmetros compatíveis, implantação de escolas federais, com edificação de qualidade e laboratórios de TIC, além da adoção de regime de horário integral com 30 alunos por classe;  a implementação do sistema educacional brasileiro por cidades – 115.000 professores por ano para atender 10.000 escolas em 250 cidades, ou seja, 3,5 milhões de alunos – progressivo, em prazo de 20 anos; e retorno do conceito do bolsa-escola no lugar do bolsa-família; programa de poupança-escola; entre outros aspectos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *